um beijo e acaba logo 2012

Esse é o último post de 2012.

Não que isso seja grandes coisas mas eu adoro criar um drama. Eu pensei em postar alguma coisa a mais, fazer um especial de fim do mundo ou de natal por que isso seria uma coisa novíssima que ninguém nunca fez na vida (inclusive eu gostaria de pedir desculpa pelas duas piadas de fim do mundo no facebook, sou humano) mas não vamos forçar posts quando a criatividade falta por que ninguém é obrigado.

Clichê por clichê, vamos falar de fim do ano. 2012 foi um ano enorme, muito provavelmente o mais louco da minha vida. Eu fiz muitas coisas, me orgulhei de algumas e de outras nem tanto, eu mudei muito por dentro e muitas coisas mudaram por fora. Daqui a pouco acaba e a gente tem mais 365 dias pra fazer mais um monte de coisa antes das retrospectivas e listas de melhores do ano.

Eu viajo daqui a algumas horas e ainda tô arrumando minha mala.

Eu acredito de verdade em 2013, já fiz algumas promessas pra não cumprir, já fiz planos, já fiz manifestos inteiros. Acho que a razão pela qual eu tô tão animado pra um ano começar é que pela primeira vez eu não tenho noção do que me espera. Eu já tenho festas e casamentos marcados, mas não tem plano de ação nenhum na minha cabeça, e isso é raro.

Enquanto eu escrevia isso uma barata entrou no meu quarto e eu matei ela sozinho. Gastei uma lata de mortem inteira? Sim. Aparentemente 19 pedras de naftalina no quarto não são o suficiente pra essas afilhadas do satanás.

Obrigado a vocês que visitaram e fizeram o blog esse ano. Nos vemos em 2013 pra mais aventuras, diversão e stock images.

Anúncios

when i find myself in times of trouble, naftalina comes to me

Durante todo esse tempo que estive ausente eu tentei criar um artigo sobre morar sozinho. De verdade, eu me enrolei até agora por que eu não conseguia pensar em algo bom o suficiente e eu queria falar sobre isso. Eduardo sabe bem, ele viu o rascunho com certeza, estava um lixo. A pauta continua a mesma, mas agora eu vou contar uma historinha pra vocês. Senta aqui no colo do tio, senta.

Estava eu, era quarta feira e era uma da manhã, eu já tava pronto pra dormir mas eu decidi olhar o facebook uma última vez, daí comecei a stalkear uma pessoa e não consegui parar. Eis que de repente eu vejo algo se rastejando no canto do meu quarto. Daí eu pensei “AI CACETE”, pulei na cama, respirei fundo e disse pra mim mesmo “Tá bom. É uma barata, só isso. Eu sou um homem eu tenho genes Y tá no meu sangue EU CONSIGO!” Pulei da cama pra cadeira do computador e fiquei com os dois chinelos na mão, dei uma olhada na barata e PUTA QUE PARIU ERA ENORME. Eu tentei, mas não consegui matar ela jogando os chinelos, fiquei deseperado achando que ela ia começar a voar e daí eu saí correndo do quarto pra pegar uma vassoura. No caminho o que é que eu encontro na sala? OUTRA BARATA ENORME (um pouco menor que a primeira, porém grande ainda). Fiquei mais ou menos assim:


eu chorei de verdade

Dei um berro, chorei um pouco, corri pra dispensa, peguei  a vassoura, larguei a vassoura e comecei a preparar um veneno que me pai já tinha batido na casa. Eu enchi uma bomba de 500ml de água e coloquei uma colher de sopa de veneno, só que a água não ficou com cheiro de veneno, daí o que eu fiz? isso mesmo, eu coloquei mais três colheres de veneno. Comecei a borrifar desesperadamente pela casa, na sala, no meu quarto E AS BARATAS NÃO SE INTIMIDAVAM.

Decidi ligar pros meus pais, que estão a muitos quilometros de mim. Meu pai me disse  que uma colherzinha de chá pra 500ml bastavam e que o remédio é muito tóxico, só que ele não tem cheiro, daí ele disse pra eu não passar no meu quarto por que senão eu não ia poder dormir no quarto. Eu não sei se algum de vocês sabe, mas quando eu vejo qualquer animal rastejante com mais de quatro patas eu me desespero, eu perco a capacidade de raciocinar; TANTO QUE EU SÓ AÍ QUE EU FUI PERCEBER QUE TINHA ENVENENADO A MINHA CASA INTEIRA E A MIM MESMO TAMBÉM. Daí eu percebi que nem se as baratas morressem eu ia poder dormir em casa. Chorei mais um pouco.


no momento as lágrimas formavam uma pequena poça

EIS que a barata1 (a maior) decidiu sair do meu quarto E VIR NA MINHA DIREÇÃO. EU ESTAVA ENCURRALADO NO CANTO DA SALA POR QUE TINHAM DUAS FUCKING BARATAS LÁ. Borrifei mais veneno nelas (tinha acabado de ouvir da minha família pra não usar o veneno pra não me intoxicar, mas cês acham que eu ia largar minha única proteção?), uma barata foi pro canto da sala, a outra foi pra dispensa. Eu aproveitei a pausa, corri no meu quarto, troquei a roupa, peguei minha mochila, mandei pra dentro o desodorante, a escova, umas folhas a4 e um livro pra ler POR MOTIVOS DE NÃO PODIA DORMIR EM CASA E EU NÃO TINHA ONDE DORMIR. Daí eu percebi que eu não sou tão forte quanto eu gostaria e que morar sozinho é triste e difícil e que deus não existe pois ele faz pessoas boas sofrerem sendo que eu não mereço. Chorei pela humanidade.


as baratas será que elas sobrevivem ao fim do mundo

Saí de casa. Na escadaria do prédio vejo mais duas baratas e quase me jogo da escada pra evitar elas. Quando eu saí de casa eu mandei uma mensagem pra minha amiga que mora na mesma rua. “tem como me ligar ou falar por mensagem agora?” EU REESCREVI ESSE TEXTO 30 VEZES PRA PODER DEIXAR ELE O MAIS CALMO O POSSÍVEL e ela me responde desesperada já imaginando mil coisas terríveis, de modo que eu fiquei com vergonha de aparecer na casa dela e falar que “era uma barata rs”, daí eu acalmei ela e falei que  tinha resolvido.

SÓ QUE EU NÃO TINHA RESOLVIDO! Eu me sentei na escadaria do condomínio e comecei a ler um livro com a luz do poste, mas o livro é bem ruinzinho e eu não aguentei ler mais de meia hora, comecei a ouvir música, mas uma hora minha água acabou e eu quis ir ao banheiro (juro que tentei juntar coragem, mas na porta do bloco tinham mais 3 baratas). Pra resumir eu acabei “dormindo” na escadaria do condomínio que é feita de concreto e brita. Dormindo entre aspas por que por mais que eu estivesse com sono eu não consegui dormir. Era MUITO desconfortável, eu me balançava, eu tava com sede, apertado.. e pra melhorar minha bunda ficou ralada de tentar dormir naquela porcaria, por que eu estava de calça jeans no concreto e estava calor. Não preciso dizer que passei a pior noite da minha vida.

Juntei todas as merdas e chorei uma última vez.


e eu ainda tinha conta pra pagar

Desde então o dia amanheceu, eu me recompus, fui no supermercado, limpei meu quarto, coloquei panos com veneno na casa toda e enchi meu quarto e a sala de naftalina e mortem. O cheiro aqui em casa tá terrível, mas se eu tô sendo intoxicado pelo veneno as baratas de certo também estão, e isso é uma coisa boa.

No fim das contas morar sozinho é isso mesmo, tem contas pra pagar, às vezes você fica triste, às vezes fica feliz e às vezes você faz um pentagrama com veneno em volta da cama e dorme abraçado com uma lata de mortem. Coisas da vida.

Gostaria de me desculpar pela demora e agradecer a todo mundo que me lembrou do blog e de como é legau escrever aqui. Beijo na cara de vocês.

Não leiam A Vida de Pi

olha a gente de novo nessa situação embaraçosa

Eu falo que vou botar essa bagaça pra funcionar de novo e vocês fingem que acreditam em mim. TÁ MINHA FILHA MAS VAI BOTAR PRA FUNCIONAR MESMO OU VAI CONTINUAR CONTANDO MENTIRAS? Nem sei. É finalzão de ano, a pior hora pra tentar voltar a postar, mas eu pretendo fazer disso um compromisso, e eu pretendo furar com esse compromisso igual a todos os outros na minha vida. De qualquer forma, o que vale é a intenção (não é).

nos vemos em breve