Sol em Áries 2019 – 20 de Março a 20 de Abril

O primeiro terço do Outono. A despedida do Verão. É a temporada de Áries; e eu cheguei a pensar em não falar do signo, pra apelar também para um público mais cético,mas veja bem, agora é tarde demais. Pois sim. A vida é feita de escolhas; e na maior parte delas você não vai poder voltar atrás. Quer coisa mais ariana que isso?

Esse foi um tempo em que eu quis desistir de tudo inúmeras vezes, o que é curioso para um signo conhecido pela ferocidade e garra. Foi um tempo de me domar, e ser mais forte que meus impulsos, mas não foram impulsos de dominar ou destruiu, e sim de parar e me afastar silenciosamente.

Eu senti o coração na superfície da minha pele, emoções que vinham até a epiderme e coçavam pra sair. Acho que a superfície precisava ser sentida. Acho que a minha pele precisava de sangue, fogo e desejo. Construí expectativas só pra vê-las sendo arregaçadas. Senti raiva. Não foi bonito ou prazeroso, mas foi honesto e resolutivo. Entre uma mentira frágil e uma verdade bruta, qual você escolheria?

Houve ainda uma sensação de cansaço, mormaço, trabalho inútil. Uma repetição que não constrói nem destrói, só repete. Tédio. Rádio. Central telefônica. Não desligue, sua ligação é muito importante para nós. Me sinto cansado de manter um sistema falido funcionando. As montanhas de pedra, a que servem? Quem desenhou os arcos e desvios dessas estruturas que nos cercam? Quem construiu os muros que nos prendem? Quem misturou o cimento? Quem fundiu o aço, e com que fogo?

No meio disso tudo vem correndo por mim um desejo incontrolável de mudança. Sinto vontade de me recriar, de me tornar tão forte e intenso que nada disso seja capaz de me parar. Quero prazer e alegria, e quero que venha de dentro. Quero me sentir uma pessoa fresca e leve, sensual e deliciosa. Quero escorrer da minha própria boca, quero costas grudadas na parede e cabelo grudado na cara. Quero me sentir à vontade para me sentir.

Enquanto escrevo e penso nisso, sinto vontade de me esfolar, me ferir e sangrar. Não sei como lidar com esse desejo tão auto destrutivo, mas achei interessante. Me cortar ou perfurar não me atraem, tão pouco me queimar. Não quero machucar a mim mesmo e nem corro esse risco, mas ao fim da temporada de Áries, eu sinto como se devesse ter ralado o joelho ou o cotovelo em algum lugar. Acho que o que eu quero mesmo é fuder.

Anúncios

Houston, eu tenho tantos problemas…

Alô, alô.. Aqui sou eu, João Gabriel, transmitindo do espaço.

Esses dias eu tenho ficado muito cansado da vida na terra, então eu improvisei uma cápsula espacial com o motor da Air Fryer e me catapultei pra fora da atmosfera; mas eu ainda estou em órbita, por que eu achei que vagar pelo espaço sideral ia me gastar muito tempo pra fazer um monte de marmitas e eu ando com bastante preguiça de cozinhar. E eu também não tô tãaao cansado assim da experiência humana a ponto de sair de órbita, só um pouco de saco cheio.

É muito todo dia a mesma coisa, sabe? Trabalhar de segunda a sexta, o fone de ouvido o tempo todo pra não pirar de vez de ficar respirando aquele ar condicionado e aquela luz artificial, voltar pra casa, consumir alguma coisa no tempo livre, fazer alguma coisa no tempo livre, correr atrás dos seus sonhos no tempo livre. Aqui em cima as coisas são bem mais tranquilas, não tenho que trabalhar nem pagar aluguel, e de vez em quando passo por um satélite e eu aproveito pra escutar uma música.

Quando eu fui pra Terra eu achei que as coisas funcionavam de uma maneira muito simples. Eu me lembro de um dia em que eu corri em direção a um monte de pombas e elas saíram voando, e eu achei aquilo lindo!, então eu corri em direção a um monte de cachorros de rua e eles me atacaram. As coisas na Terra são muito complexas, têm muitas variáveis e não é por ter dado certo uma vez que vai dar duas. É como se a verdade estivesse o tempo todo se esquivando. Às vezes desaparece sem dar um sinal, às vezes tá bem na nossa frente, mas sempre tá fora do nosso alcance. Flutuando no espaço eu não tô mais preocupado em alcançar a verdade. Não sei, a falta de oxigênio torna as coisas muito mais simples.

Tem uma galera que diz que encontrar a verdade suprema é o propósito da vida; ao mesmo tempo tem uma galera que diz que o propósito da vida é negar os desejos e impulsos, e tem uma galera que diz que é honrar as leis divinas. Eu costumava me identificar com a galera mística que diz que o propósito da vida é elevar a alma através do autoconhecimento, mas ultimamente tô achando que esse assunto anda muito concorrido e decidi deixar a discussão pros outros.

Lá na Terra o combustível mais potente da minha vida nesses dias tem sido o sexo. Eu tô tentando parar de fumar, tô tentando diminuir na bebida, dormir melhor, fazer mais exercícios, meditar.. tô fazendo isso por que tô preocupado com a saúde do meu corpo e mente e todo o resto, claro, mas o que mais me motiva é pensar que quanto mais saudável meu corpo e mente estiverem mais energia eu vou ter pra transar. Eu poderia dizer que é minha natureza primitiva e animal buscando a reprodução, mas já me deixaram claro que sexo entre dois homens não gera filhos, então acho que é só tesão mesmo.

Não me levem a mal, tem muitas outras coisas que me alegram na vida, eu sei apreciar uma boa comida, um encontro com os amigos, pegar um sol na cara, cuidar das plantas.. o que eu não tô sendo capaz de suportar é o fato de que todo dia essas coisas são empurradas pro segundo plano da existência, e todo dia eu acordo cedo pra criar banners pra um site e fazer uma galera rica ficar mais rica ainda e comprar, sei lá, um frigobar novo pro jatinho. Enquanto isso eu tenho amigos desempregados, e enquanto isso tem gente que tá trabalhando em cativeiro.

Já faz uns anos que eu tô tendo que escolher entre ler ou ver um filme ou ver os amigos ou dar um tempo pra minha cabeça e sentar na varanda pra ver a lua; e eu tava com saudade de ver a lua. Aqui no espaço sideral eu não tenho mais que escolher, mas eu também não tenho o que escolher. Eu também não tenho que me incomodar mais com essas coisas de ser humano e a frustração de ver tudo em um estado tão fudido. Por outro lado eu também não tenho como fazer nada pra mudar isso. Felizmente, a lua daqui de cima tá linda.

Enfim, tô falando isso tudo pra dizer que: eu trouxe uma garrafa de vinho, eu já bebi ela inteira, agora eu tô bêbado e eu não sei mais como faz pra operar esse painel.

Tem como alguém vir me buscar? Queria muito tomar um banho.