13 álbuns de 2013 pra 2013

Essa é a última lista que eu faço em 2013. Sim, eu sei que já é 2014, mas eu começei a fazer em 2013 e são de álbuns de 2013 então silêncio que eu tô certo. Eu realmente deiei de acreditar na eficiência dessas listas numeradas de “melhores tais”, de modo que a idéia dessa lista nao foi fazer um top 10, nem colocar os melhores álbuns, nem meus favoritos, nem os que eu mais ouvi. São 13 ótimos álbuns de 2013, escolhidos pelo conjunto de sentimentos e sensações que eles evocam e a proximidade desses temas com o ano que passou, pelo menos pra mim. Sei que álbuns ótimos ficaram de fora dessa lista, fiquem à vontade pra sugerir e fazer as suas versões.

Em ordem alfabética, os 13 álbuns de 2013 pra 2013:

ANTES QUE TU CONTE OUTRA, do Apanhador Só, para a relutância.

Aquela sensação de murro na boca do estômago, que te assola e nada explica, traduzida lindamente em música. “[…]capturou um dos sentimentos mais necessários e urgentes de um ano tão conturbado: a desconfiança” como disse muito bem esse texto. Vai ler ele inteiro.

CADAFALSO, do Momo, para a solidão.

Cadafalso (substantivo) é um palco aberto onde se executa alguém. Momo jura que “ninguém vai morrer pela lâmina da faca”, mas as músicas, Bossas lindas e melancólicas, são a sua confissão, seu julgamento e sua execução. E por mais que ele diga que “você nunca mais andará sozinho”, o álbum soa mais como um monólogo do que como uma reunião.

EXCAVATION, do The Haxan Cloak, para a morte.

Eu realmente acredito que música tem poder, então eu já aviso pra tomarem cuidado com esse cara. Haxan Cloak cria música eletrônica, ambiente, industrial, sobrenatural.. Excavation é um ensaio complexo sobre a morte como jornada, processo contínuo, mais do que como evento, ou ponto final da história; e é tão assustador e pesado quanto parece ser.

FIELD OF REEDS, dos These New Puritans, pra se desconstruir.

TNP criaram uma obra perfeita tecnicamente: um álbum lindamente costurado e conceitualizado, que poderia muito bem ser uma ópera. Conta a história de dois amantes vagando, que na esperança de estarem juntos de novo, se perdem cada vez mais em labirintos, em mares escuros, em ilhas mágicas e em si mesmos.

IMMUNITY, do Jon Hopkins, pra curar.

Hipnótico, delicado, impactante, eu podia escrever uma página de adjetivos sobre Immunity e seu universo, ao mesmo tempo enorme e microscópico. Eletrônico IDM de ambientação, tem camadas suficientes pra te botar pra correr mas também pra te deixar meditando enquanto boia na imensidão.

INNOCENCE IS KINKY, da Jenny Hval, pro sexo.

Não, não é música pra ouvir durante o sexo (NÃO). É um álbum experimental, gutural, cru, chocante, que põe em cheque nossa relação com o sexo, sua essência; natural demais pra ser tratado como tabu, mas sobrenatural demais pra ser banalizado. Pra botar as definições e regras de cabeça pra baixo.

ONCE I WAS AN EAGLE, da Laura Marling, pela vida.

Laura Marling em novas experiências com o folk, menos country, mais serena, mais feliz. Isso é música pra celebrar as coisas grandes da vida, suas conquistas, suas independências, suas ambições, suas felicidades e até a própria vida, sem economias.

REFLEKTOR, do Arcade Fire, para a luz.

Eu não consigo definir ao certo o tipo de música que Arcade Fire faz, mas é linda. Quando você acha que tem eles na parede, eles fazem isso. explorando tudo que é sonoridade possível, eles entregam uma obra que joga luz na pós-modernidade e na tecnologia, e em como isso afeta a nós humanos, nossas relações, a arte, a música, a espiritualidade.. e quão longe estamos dispostos a ir pra nos conectar.

SHAKING THE HABITUAL, do The Knife, para a liquidez.

Teve essa época em que eu tinha a sensação de que tudo tava muito errado, de eu não fazer sentido em meio nenhum, de não poder se agarrar a nada. Tentando explicar esse sentimento eu disse pra uma amiga que eu tava me sentindo líquido e todo o resto era sólido. Do título à capa, incluindo as vinhetas ambiente de vinte minutos, o álbum de eletrônico experimental evoca essa sensação de não pertencer; de não encaixar; e escorrer.

SILENCE YOURSELF, das Savages, para o silêncio.

Nas palavras das próprias: “E se o mundo se calasse, mesmo que por um minuto, talvez nós começaríamos a ouvir o ritmo distante de um som jovem e raivoso e iríamos nos recompor. Talvez, tendo desconstruído tudo, nós deveríamos pensar em botar tudo de volta no lugar. Fique em Silêncio.” Nada a acrescentar.

SLEEPER, da Carmen Villain, para o frio.

Carmen era uma modelo de revistas globais, Vogue, Elle, Marie Claire. Toda convenção machista e esnobe estraçalhou aos seus pés quando ela lançou um álbum de músicas que ela escrevia e compunha em segredo durante suas viagens de trabalho, inspiradas na sonoridade de bandas como Sonyc Youth, Broadcast, com influências de música experimental, drone, country e até metal. Uma peça ao mesmo tempo tão íntima e pessoal quando crua e densa, que soa como o vento de inverno soprando no seu ouvido.

TO SEE MORE LIGHT, do Colin Stetson, para a redenção.

Colin Stetson cria música que se situa em um estilo próprio, uma mescla de folk, industrial e erudito. Com um só instrumento e alguns vocais emprestados, ele te põe pra lutar contra seu animal interior, pra ser abandonado, pra se tornar outros seres e, por último, pra se redimir com si mesmo.

YOU HAVE ALREADY GONE TO THE OTHER WORLD, do A Hawk and a Hacksaw, para a espiritualidade.

Evoluindo a própria sonoridade de uma maneira absurda e alternando entre criações próprias e versões de músicas Hutsul antigas, a banda criou uma obra tão rica quanto suas referências. O álbum, que funciona como a trilha sonora de um filme de 1964, parece realmente vir do outro mundo, e serve de trilha sonora para tentar encontrar sua própria espiritualidade, que seja única e sua.

Agora sim, vamo pra 2014 :)

Anúncios

5 discos pro Outono

OUTONONem tudo na nossa vida sai como o esperado, não é mesmo? Por exemplo eu tinha planejado terminar essa lista pro dia 18 de Outubro, por que daí eu ia chegar aqui e falar “GALERA O OUTONO É DAQUI DOIS DIAS QUEM TÁ ANIMADO?”, desse modo fazendo uma referência ao post de verão, mas nem sempre as coisas dão certo e aqui estou eu 11 dias atrasado e há muito tempo sem botar nada, fazendo uma surpresa. E do que a vida é feita senão de surpresas? De estações. A vida ela é feita de surpresas e estações. E qual é a surpresa de hoje? Esse post. E qual é a estação de hoje? O Outono.

O Outono é a renegada das estações. É aquele momento do ano que não se encaixa nas lembranças agitadas de verão nem na tristeza calma do inverno, daí fica entre esses sentimentos. É uma estação melancólica mas muito bonita, acho que quando você tá imerso nessa atmosfera dividida todas as suas memórias vêm à tona e preenchem o espaço. Daí de repente você tá divido entre passado e presente, entre largar tudo e abraçar o que você tem, e ao mesmo tempo que você quer correr atrás dos sonhos impossíveis e tomar decisões você também quer deitar no seu quarto e pensar em tudo que você devia ter feito e não fez.

Deu pra entender direitinho né? Vou poupar você de mais falação de nada. Os cinco discos para curtir o outono:

Continuar a ler

9 razões pelas quais o tapete vermelho do Oscar é melhor que a cerimônia.

Oi genteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee nossa faz tanto tempo, nem parece que eu me importo com isso aqui, né? Nem parece que toda vez que alguém fala que leu meu blog eu jogo um copo dágua na cara da pessoa e saio correndo pra me esconder e talvez chorar. Então, lembra que eu falei que quarta feira eu ia postar coisas e que eu ia tentar fazer um live do oscar? Pois é acontece que eu não estava estruturado aqui ainda, e não consegui um link decente, mas isso não vai me impedir de falar babaquices sobre coisas que eu não entendo. Pra começar a voltar no ritmo, eu lhes apresento as 9 razões pelas quais o tapete vermelho do Oscar é melhor que a cerimônia.

1. No tapete vermelho você conta com quantos urubus se faz um vestido

kk (1)

Na cerimônia A Vida de Pi ganha melhor trilha sonora original.

2. No tapete vermelho tem a sua prima adolescente sk8r girl que tá lá obrigada e não vê a hora de ir embora pra casa ouvir Guns N’ Roses.

kk (3)

Na cerimônia A Vida de Pi ganha Melhor Cinematografia.

3. No tapete vermelho as celebridades brincam de ESTÁTUA! rrsrs

kk (7)

Na cerimônia A vida de Pi ganha Melhor Direção.

4. No tapete vermelho tem vestido que eu tenho CERTEZA que faz barulho de talher batendo quando anda.

kk (4)

Na cerimônia A Vida de Pi concorre pra onze oscars, e ganha quatro.

5. No tapete vermelho seus ovários explodem

kk (2)

Na cerimônia Moonrise Kingdom concorre pra uma categoria só.

6. No tapete vermelho A MENINA DE SEIS ANOS TÁ TÃO DOIDONA DA BALA CHITA QUE FAZ UMA BOLSA DE CACHORRO.

kk (8)

Na cerimônia Django Livre nem concorre pra melhor Direção.

7. No tapete vermelho tem cosplay

kk (6)

Na cerimônia A Hora Mais Ridícula Escura concorre pra melhor filme.

8. No tapete vermelho tem ANA MARIA BRAGA!!!!!!!!!!!!!!!! GUD MORNEM PIPOU GUD MORNEM BOI UEIQUE AP GUÉU nossa que lindo ficou o vestido dá uma fome

kk (5)

Na cerimônia JENNIFER LAWRENCE GANHA MELHOR ATRIZ????????? Gente eu sei que eu adorei O Lado Bom da Vida mas nadavê querida

9. No tapete vermelho AAAAAAAAAAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

as

por hoje é só, nos vemos em breve.

5 discos pro Verão

verao

Eu sou uma dessas pessoas que adora estações. Eu gosto da idéia do mundo em moments diferentes, da troca, de mudança.. e isso me põe em situações muito contrangedoras por que eu às vezes eu to conversando com os meus amigos e solto um “GALERA O OUTONO É DAQUI DOIS DIAS QUEM TÁ ANIMADO?” e ninguém tá animado.

Agora é Verão e, de acordo com a tradição, é uma estação de muito sol, calor, férias e gente bonita semi-nua. É lógico que também tem chuva, mosquito, barata, aula no calor e gente feia semi-nua, mas a gente pode deixar isso de lado pra concentrar nas coisas boas, de preferência acompanhadas de música boa e cheia de verão, que é o ponto principal desse artigo então vamo lá.

Continuar a ler

INDIEcations reloaded

Há um bom tempinho atrás eu comecei a fazer uma lista semanal com uma seleção de músicas. No início eram músicas só de indie rock, depois virou de músicas alternativas e por fim era uma seleção de músicas legais.

Quando eu me propus a descobrir músicas novas e fazer uma lista com essas descobertas eu passei a experimentar uma das sençasões mais interessantes, que é o confronto. Nem sempre vou escutar músicas que me agradam nesse caminho, muitas das vezes vou rodar e rodar sem encontrar algo legal. Só que de repente BAM! algo super incrível aparece. E ainda tem o ato de escutar a mesma música algumas vezes para realmente ter certeza de que ela vale ou não a pena ser colocada.

Um dos caminhos da descoberta de novas músicas é procurando por grupos, seja nacionalidades, grupos étnicos, ou com pensamentos comuns uns aos outros. Uma das formas de expressão é a música, logo as pessoas irão produzí-la para se expressar. E com isso eu acabo conhecendo mais sobre diversar coisas. Vendo novos pontos de vista. Lembro uma vez que descobri uma banda chamada Kabul Dreams que é a primeira banda de rock do Afeganistão. E a história desse pessoal é bastante interessante pois eles se esforçam e se arriscam levando em frente um projeto realmente indie. O vocalista Qardash trabalha na TV para conseguir um dinheirinho e o investe na banda. Outra vez conheci uma banda de rock da África do Sul que é simplesmente fantástica. E por aí vai…

Devo dizer que é gratificante e divertido a criação das listas e todo o processo envolvido.

Resolvi voltar a fazer as INDIEcations, porém o formato antigo era um post com os vídeos do youtube, e com isso – infelizmente – vez por outra o vídeo saía do ar. Então estou pensando numa nova forma de organizar. Talvez como eu venho fazendo com as mixtapes (afinal é quase a mesma coisa).

Aguardem…

Sexta-feira, 13

Hoje você acorda e pensa: mais um dia, não? Não mesmo, é a resposta. Hoje pode ser um dia qualquer, ou não.

Hoje o dia é muito ligado ao mal, com muitas histórias, lendas e supertições. Talvez nem mais notamos tudo isso e deixamos passar desapercebido. Ou talvez é uma oportunidade de ter uma tradição/cultura para aproveitar essa data.

Ok, agora você vai me chamar de Filho de Sodoma, Aquele que traz o mal pelos blogs, você vai denunciar esse blog como impróprio para crianças e beatas… mas antes disso olha só:

Nem toda visão do mal é ruim, e não necessariamente precisa estar ligada a demônios e outras coisas assim. Talvez o mal está dentro de nós. Paixões, impulsividades e ignorâncias podem ser muito pior que qualquer lobisomem correndo atrás de senhoritas indefesas.

Separei um poema do Edgar Allan Poe (*—*), uma música do Pink Floyd e um filme para você aproveitar um pouco esse dia. (clique na imagens para abrir)

Poema O Corvo, de Edgar Allan Poe

Poema O Corvo, de Edgar Allan Poe

Pink Floyd - Is There Anybody Out There?

Pink Floyd - Is There Anybody Out There?

A minha tradição nas sextas-feiras 13 é assistir a um filme de terror. E esse aqui é o de hoje, não sei se é bom, pelas críticas parace que é. É uma história de apocalipse zumbi (ok, nunca gostei muito de zumbis, mas pensei em dar uma chance dessa vez). Vejamos…

28 Days Later...

28 Days Later...

o/

10 fantasias pra se usar em festas

Todo santo mês tem alguma pra poder comemorar. Em Janeiro a galera tá em clima de ano novo, todo mundo bem estiloso, bem sorridente, bem verão… Fevereiro é mês do carnaval, em Março a galera fica com as emoções à flor da pele porque tem dia das mulheres, aí  aproveitam pra afogar os sentimentos em chocolate porque logo em abril é páscoa. E assim o ano vai indo, exceto em Agosto, aí  você fica torcendo pra ter um  aniversário porque aí não tem nada.

Aí acontece que as pessoas mais animadas e alto astral arrajam tempo pra planejar festas nos buracos que ficam entre essas datas, e uma das preferidas da moçada é a famosa festa à fantasia.

Mas o que são festas à fantasia? É simples, meu caro leitor. São festas em que as pessoas se fantasiam!

mascarado
mistérios da meia noite

Mas é lógico que você sabia disso, e eu estou falando isso por razão nenhuma. Mas eu não vou discutir a necessidade ou a função das festas à fantasia, também não pretendo falar da história e criação (até porque eu não sei nada disso e não sei porque alguém gostaria de saber), como já disse o nome do post, estou aqui pra dar essas dicas dignas da revista capricho de 10 fantasias pra se usar em festas. Mas porque isso? Porque eu acabei de receber um sms de uma colegea me pedindo pra ajudar ela a decidir uma fantasia, e aí eu percebi que as fantasias das festas se resumem a Profissões, pros homens, e versão sexy das Profissões, pras mulheres. Vâmo então fugir do óbvio, acompanhe aí:

10. Ninguém em especial.
Você vai precisar de: 3 ou 4 peças de roupa qualquer, penteie o cabelo diferente e diga que você tá vestido daquele personagem daquela série, aquela série que tem aquela música na abertura, sabe? Então, essa mesma. Se quiser você pode pedir pras pessoas adivinharem e qualquer coisa que elas disserem você diz que elas acertaram . É TIRO E QUEDA.

9. Pedófilo do parque.
Você vai precisar de: um óculos, um bigode, muito gel pro cabelo, uma pochete, balinhas e um jornal.

8. Pedófilo da internet.
Você vai precisar de: uma impressora de cartolina, cola e uma roupa branca

mascarado
É imprimir, colar e seduzir

7. Vendedor de cocada e passe de ônibus
Você vai precisar de: Uma pochete e um coletinho amarelo com o logotipo da empresa de ônibus da sua cidade, alguns adendos opcionais incluem: cartão telefônico, chip da oi, da tim, da claro e da vivo, dinheiro, o passe de ônibus e a cocad.

6. Bêbado
Você vai precisar de: Uma garrafa de vodka.

5. Pessoa feia
Você vai precisar de: Um saco de papel e uma tesoura.

mascarado
Aviso: pode dificultar a vida

4. Aposentado, rico e divorciado
Você vai precisar de: Um óculos de sol, bermudão, chinelo e um sorrisão do tamanho da semana. Opcionais: Passagens pra um cruzeiro, mala de rodinha, acompanhante com alguns anos a menos que você. Advertência: pode custar caro.

3. Tiozão do Churrasco
Você vai precisar de: Um isopor, uma camiseta com piadinha de duplo sentido e todo o seu repertório de piadas machistas. (Bônus: use o isopor como percussão pra quando for cantar)

2. Funcionário do juizado de menores
SÓ PRA VER O CIRCO PEGAR FOGO E A GALERA ~CHORANDO LÁGRIMAS~

1. Mister M
Você vai precisar de: uma máscara, uma roupa preta e todo o seu charme sedutor

mascarado
JUIZADO DE MENORES,TEJE PRESO! rs

Seguindo essas dicas não tem como errar, ou é sucesso ou é sussesso.